Porto São Luís vai movimentar 15 milhões de toneladas de carga por ano

Da capacidade total, serão movimentadas 7 milhões de toneladas de grãos, 3 milhões de fertilizantes, 2,7 milhões de combustível líquido e 2,3 milhões de carga geral.

São Luís — A malha portuária do Maranhão vai se expandir. Nesta sexta-feira (16/3), uma comitiva de empresários chineses e brasileiros promoveram oficialmente o lançamento da pedra fundamental do Porto São Luís, na capital maranhense. A primeira etapa do novo terminal, de uso privado, deve ser concluída em quatro anos, com a expectativa de uma geração de 4 mil empregos diretos. Inicialmente, a capacidade de movimentação será de cerca de 15 milhões de toneladas por ano.

Da capacidade total, serão movimentadas 7 milhões de toneladas de grãos, 3 milhões de fertilizantes, 2,7 milhões de combustível líquido e 2,3 milhões de carga geral. Ao todo, o porto compreende uma área de 200 hectares, onde serão construídos seis berços. Sendo quatro na primeira etapa de construção, e outros dois na segunda. O projeto prevê uma conexão direta entre o porto e a Estrada de Ferro Carajás, que possibilitará acesso direto dos produtos ao terminal. A expectativa é de que isso possa trazer eficiência e tornar a infraestrutura portuária competitiva no mercado.

A expectativa é de que o porto se posicione no mercado como um importante terminal para o escoamento de grãos e outras mercadorias. Com grande produtividade, tornando os preços competitivos e atraentes. “Estamos falando da construção do mais moderno ponto de ligação entre a produção nacional, sobretudo a produção de grãos, combustíveis, entre outros. E os mercados mais importantes do mundo, como Estados Unidos, Europa e Ásia”, avaliou Paulo Remy Gillet Neto, sócio-presidente da Lyon Capital, acionista do Porto São Luís.
Da participação total da empresa, 51% pertence à China Communications Construction Company (CCCC), maior empresa de infraestrutura do país asiático. A Lyon Capital detém 20%, enquanto 24% é da WPR Participações, do grupo WTorre. Outros 6% é de acionistas minoritários.

Para o presidente da CCCC na América do Sul, Chang Yunbo,  o projeto é mais do que um investimento privado. “É um projeto de duas nações. Talvez o mais importante pilar da economia global nas próximas duas décadas”, enfatizou. A primeira etapa do projeto está orçada em R$ 800 milhões.

O lançamento da pedra fundamental do Porto São Luís foi comemorado pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Para ele, a chegada do investimento de tal porte mostra uma clara disposição dos chineses em investir no estado e ajudar no crescimento econômico. “Se olharmos, hoje, que grande parte da produção de grãos ainda vão para o porto de Paranaguá, no Paraná, ou para o de Santos, em São Paulo, vamos conseguir diagnosticar o grande potencial que há”, destacou. Geograficamente, é o ponto mais próximo da Europa, dos EUA, e do Canal do Panamá, ressaltou Dino. “É um ativo estratégico que temos para consolidar o Maranhão como porta de saída e porta de entrada da produção mundial”, acrescentou.
* O jornalista viajou a convite da Lyon Capital